Visitar cavernas pode ser algo letal. Entenda o motivo.

09/03/2018  —  By

Não é muito falado, mas dentro de cavernas, também se escondem perigosas doenças. Para ressaltar essa afirmação, basta lembrar de julho deste ano quando 12 meninos jogadores de futebol e seu técnico foram resgatados na Tailândia de dentro de uma caverna e isolados em uma sala, logo em seguida, permitindo o contato com o lado de fora apenas por meio de uma camada de vidro, proibidos de qualquer aproximação com outras pessoas, enquanto estes eram submetidos à testes.

Tudo isso pelo risco que o interior das cavernas podem apresentar. apesar de milhares de pessoas entrarem no complexo de Tham Luang, por exemplo, movidos pela curiosidade, é possível que isso tenha um fim conforme se aproxima de seu interior, pois estes locais, principalmente as que ficam em países tropicais, podem ser fatais.
Tomadas por diversos animais, como pássaros, escorpiões, aranhas, ratos e morcegos, aranhas e escorpiões e infinitos micro-organismos que podem ser letais à saúde.

Existe o risco do vírus de Marburg, causador da febre hemorrágica e o da transmissão por carrapatos que causam a “febre da caverna”, além de espécies de abelhas assassinas. Já houve cavernas exploradas no México, que continham abelhas assassinas produzindo colmeias. As cavernas também apresentam umidade de quase 100%, o que facilita que o ambiente prolifere bactérias e parasitas.

Leia também: A periodontite pode estar relacionada às doenças de coração. Entenda.

Na situação dos meninos da Tailândia, por exemplo, é alto o risco de que tenham sido contaminados histoplasmose, que é derivada de morcegos e aves pŕesentes em áreas úmidas. Esta doença mata uma em cada 20 crianças e oito em cada 100 adultos já infectados. Além desses, outro micro-organismo que habita cavernas é a bactéria Leptospira, presentes em fluidos como a urina de roedores, e fezes de morcego.

Se você pensa em visitar cavernas, é preciso cuidados como o uso de botas de borracha e desinfetação da roupa de mergulho antes de tirá-la.