Em 2018, você pode contemplar cinco Eventos Celestes imperdíveis!

07/01/2018  —  By

 

Mais uma notícia espetacular para os amantes da astronomia. Ainda restam 5 eventos para você comtemplar no nosso céu! Alguns já aconteceram entre janeiro e junho, como o : Eclipse da Superlua Azul, que pôde ser visto em janeiro do Alasca, do oeste do Canadá, do Oceano Pacífico, da Austrália, do Hawai, da Indonésia, das Filipinas, do Japão,  da Nova Zelândia e da China. Em março, tivemos a Parada Planetária, onde três planetas formaram uma linha de conga com a Lua.

Agora, os próximos eventos ocorrerão a partir do mês de julho. Prepare o telescópio e delicie-se! Dia 15 de julho, a  Lua se encontrará com Vénus em uma imagem surreal. No momento do pôr do Sol nos Estados Unidos, a lua crescente irá encontrar Vênis em uma aproximação inédita, que proporcionará a nítida impressão de que estarão em apenas 1,6 graus de separação, o que corresponde a três círculos lunares. É ou não é para se arrepiar?

Então, dia 27 de julho é o dia do Eclipse Total da Lua. Ela se apagará na noite de 27 de julho, visível na América do Sul, África , Ásia, Europa e  Austrália. O evento durará um dia e meio após a Lua atingir o ponto mais longe da Terra, o que a dará a menor lua cheia do ano de 2018. O fenômeno iniciará a partir das 19h30 no qual a Lua passará pela parte mais escura da sombra do nosso planeta.

Neste mesmo dia, 27 de julho, também será possível observar Marte no seu melhor posicionamento em relação a Terra. Ele brilhará para nós como nunca fez, desde quinze anos atrás.  A sensação será de que estará mais próximo a Lua, como uma superestrela laranja. Não perca, pois isto não voltará acontecer até 2035. Mesmo podendo ser visto a olho nu, são recomendados telescópios para se apreciar detalhes coo calotas polares e planícies vulcânicas.

Leia mais sobre este evento em: Em julho, Marte se aproximará da Terra e será possível vermos. Confira!

Então, o próximo evento ocorrerá dia 11 de agosto: O Eclipse Parcial do Sol. Já ao nascer, o eclipse se mostrará a frente do Sol, podendo ser visto com mais facilidade em regiões altas do norte da América do Norte e da Europa, em locais remotos da Rússia e do nordeste da China. Nos dois próximos dias seguintes, ocorrerá também a Chuva de Meteoros Perseidas, que surpreenderá os observadores com seu brilho em Meteora, Património Mundial na Grécia.

Esta chuva de meteoros é considerada uma das mais intensas que ocorrem anualmente. Elas produzem até 60 estrelas cadentes por hora e desta vez, o auge coincidirá com o céu escuro pelo fato de estar sem a luz da lua ndia 12 de agosto e poderá ser visto até a madrugada do dia 13.

E para finalizar com chave de ouro, dia 12 de dezembro ocorrerá o Encontro de Cometas: Na Constelação de Touro, o cometa 46P/Wirtanen estará mais próximo ao sol, iluminando-se o bastante para ser visto a olho nu, tonrnando-se o mais brilhante cometa do Hemisfério Norte em cinco anos.

Depois de quatro dias do “efeito de fisga” do campo gravitacional, o cometa chegará próximo ao nosso Planeta  em uma a distância de 11,6 milhões. Assim, será avistar o cometa, já que ele passará pelos aglomerados estelares das Plêiades e da Híades, terminando a temporada de eventos espetaculares do céu em 2018.